top of page

CNC e Conab buscam aprimorar levantamento de safras de café



O Conselho Nacional do Café (CNC) se reuniu na segunda-feira, 13/11, com representantes do Departamento de Informações Agropecuária e Políticas Agrícolas (Dipai) da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) em busca de alinhar uma metodologia para o aperfeiçoamento do levantamento de safras de café do Brasil.


Estiveram presentes: representando a CONAB, Aroldo Antônio de Oliveira Neto, Fabiano Borges de Vasconcellos, Patrícia Maurício Campos, Séfora Silvério; representando a Minasul, José Marcos Magalhães, presidente; representando a Cooxupé, Mário Ferraz de Araújo – Gerente de Assistência Técnica, Guilherme Vinícios Teixeira – Eng. Agrônomo; representando a Cocapec, Ricardo Lima, Superintendente Comercial; representando a Expocaccer, Caio Eduardo Lazzarin, Consultor do Educampo e Wellis Peres Caixeta, Gerente de Compras; representando a OCB Nacional, Rodolfo Jordão da Silva Filho, Eng. Agrônomo e Analista Técnico Sistema OCB; representando o Conselho Nacional do Café (CNC), Silas Brasileiro, presidente, Isadora Quevedo, assessora técnica, Vanessa Cristina, secretariado e Alexandre Costa, gestor de comunicação.


O encontro contou com a condução de Aroldo Antônio de Oliveira Neto, Superintendente de Informações da Agropecuária da Conab, representando o Diretor-Executivo de Política Agrícola e Informações, Sílvio Porto que não pôde comparecer por estar em missão oficial.


Aroldo Neto ressaltou que a Conab está aberta a realizar parcerias, em especial, com o Governo de Minas Gerais, a Emater e o IBGE do estado. Disse que a companhia vê no Conselho Nacional do Café o centralizador das ações para a construção de um modelo de levantamento de safra que seja oficial, contando com a participação da expertise das cooperativas vinculadas ao CNC.


Segundo ele, a equipe da Conab é reduzida, mas muito competente. Aroldo colocou a entidade à disposição dos entes envolvidos, propondo a construção de um grupo de trabalho que possa alinhar o conhecimento de todos, criando um modelo unificado, passando esse trabalho para a liderança do CNC.

Silas Brasileiro destacou que o mercado utiliza as informações equivocadas de números do setor, buscando influenciar nos preços praticados. Ressaltou que é possível ver no dia a dia, ao ler o clipping de notícias, que os argumentos são frágeis, por isso a importância de um levantamento que seja acreditado pelo mercado.


“Agradecemos o convite da Conab para liderarmos em conjunto esse trabalho, utilizando a experiência das cooperativas, entidades e associações ligadas ao Conselho, que enviaram seus representantes e a OCB, pelo interesse em apoiar os projetos do setor cafeeiro, de uma maneira muito especial a proposta de um trabalho que possa ser utilizado por todos com um parâmetro confiável de informações. ”, parabenizou o presidente do



OCB e cooperativas envolvidas


José Marcos, presidente da Minasul, apresentou um trabalho realizado na cooperativa em que estão promovendo levantamento de dados através de Vant´s (Veículos Aéreos Não Tripulados). Segundo ele, o projeto é promissor, e está com 75% de assertividade. O presidente garantiu a colaboração da Minasul no grupo de trabalho proposto para que seja criado o protocolo unificado.


Ricardo Lima, superintendente comercial da Cocapec, explicou que o CNC vem discutindo o assunto dentro dos comitês técnicos, em especial no Comitê de Estatísticas, o qual coordena. Para ele, as experiências das cooperativas podem se somar na construção de um modelo único e oficial, colocando a Cocapec à disposição para participar das discussões.


Representando a Expocacer, Wellis Caixeta e Caio Lazzarin, explicaram que as especulações de mercado podem ser amenizadas por um levantamento de safra conunto. Segundo eles, a cooperativa está à disposição, inclusive, utilizando o conhecimento do projeto Educampo, que é muito bem sucedido na Região do Cerrado Mineiro.


Mário Ferraz, Gerente de Assistência Técnica e Guilherme Vinicius da Cooxupé, também colocaram a cooperativa à disposição, destacando o trabalho que é desenvolvido na região através da ATeG e do Educampo.


Rodolfo Jordão da Silva Filho, Eng. Agrônomo e Analista Técnico Sistema OCB, elogiou a disposição da Conab em abrir a discussão com o setor. Afirmou que a OCB será parceira e participará do grupo de trabalho.


Silas Brasileiro reiterou que a divulgação de números – mostrando a metodologia utilizada – dará cada vez mais segurança ao mercado. Segundo ele, quando todos falarem dentro de uma mesma linguagem, a especulação diminuirá substantivamente.


Finalizando, Aroldo Neto, enfatizou que agendará reuniões online e presenciais, promovendo divisões de tarefas para a definição do modelo ideal. Ele sugeriu que o Conselho Nacional do Café seja o centro de contatos e balizador do programa. Será criado um cronograma de ações e definidos os produtos que serão apresentados.


Assim, ficou definida a criação de um grupo de trabalho que contará com a condução da Conab, balizado pelo CNC, contando com o apoio de cooperativas e outras entidades.


Mais informações para a imprensa

Assessoria de Comunicação CNC

(61) 3226-2269

bottom of page