Encontro da cadeia cafeeira debate restrição de pesticidas em evento histórico


Histórico. Assim pode ser classificado o 1º Ciclo de Diálogo da Produção Sustentável – restrição de pesticidas, promovido pelo Conselho Nacional do Café (CNC) em parceria com o Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) com o apoio do Senhor Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Marcos Montes. O evento aconteceu nesta terça-feira (05/07) no auditório Senador Jonas Pinheiro no Mapa.


A realização do seminário teve por finalidade discutir a restrição de moléculas utilizadas em pesticidas por parte da Rainforest Alliance e da Plataforma Global do Café, proibições impostas para o ano de 2023 e 2030, respectivamente. O encontro foi classificado como histórico já que contou com a participação dos diversos atores do setor cafeeiro, entre eles: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (IBAMA), Conselho dos Exportadores de Cafés do Brasil (CECAFÉ), Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), indústrias de café torrado, moído e solúvel, cooperativas de produção, Plataforma Global do Café, além das empresas Syngenta e Bayer.


Na cerimônia de abertura estiveram na mesa nobre Guilherme Sória Bastos Filho, Secretário de Política Agrícola (SPA/MAPA) – representando o Ministro Marcos Montes que justificou a ausência em função de reunião interministerial com o Presidente da República, Jair Bolsonaro – Glauco Bertoldo, Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (DIPOV/SDA/MAPA), Márcio Lopes de Freitas, Presidente da OCB, Sílvio Farnese, Diretor do Departamento de Comercialização e Abastecimento da Secretaria de Política Agrícola (DCA/SPA/MAPA) e Silas Brasileiro, Presidente Executivo do CNC. O evento contou também com as presenças de Carlos Goulart, Diretor do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas (DSV/SDA/MAPA), Rogério Boueri, chefe da Assessoria Especial de Estudos Econômicos do Ministério da Economia – membro do Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC) – e de Hugo Caruso, Coordenador Geral da Qualidade Vegetal do Mapa.


O Presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas, destacou no seu discurso de abertura – extremamente voltado para o evento – a oportunidade que o ciclo criou para se construir o debate. “Acontecer e criar um ambiente de diálogo é fundamental. A gente constrói as coisas pelo diálogo. Nós vamos ter que trabalhar muito nisso, sem dúvidas, teremos que tratar com muita transparência e lealdade entre todos os parceiros. Jogando um jogo sem paixão, mas um jogo de visão estratégica. Temos que dar muita força para nossos órgãos de pesquisa, a bio agronomia – como diz o nosso grande Alisson Paulinelli – não é modismo, é tendência. O desenvolvimento de novas moléculas, menos nocivas, tem que passar por um processo de equilíbrio”, analisou o presidente da OCB.


O Secretário de Política Agrícola do Mapa, Guilherme Bastos, pontuou que o setor não se furta de suas responsabilidades e que o diálogo é fundamental no processo de substituição de moléculas. “A gente vê um tema tão delicado e que só pode ser construído através do diálogo. É um setor que está à disposição para encontrar soluções que sejam viáveis economicamente e sustentáveis. É uma questão de viabilidade não só para o consumidor, mas para o produtor também. Nesse diálogo, se trazem questões importantes sobre produtos que estão para serem banidos e que precisam ter alternativas. O Ministério (da Agricultura) externa toda a preocupação em cima do encaminhamento da solução desta questão em relação aos pesticidas. Deixo aqui nosso profundo reconhecimento pelo esforço que o presidente Silas (CNC) trouxe à mesa nesse diálogo para que se encontrem soluções efetivas para essa questão tão importante”, ressaltou. Saiba mais