top of page

Mercado de café em NY oscila e devolve ganhos da última semana

A oscilação do mercado futuro de café arábica negociado na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) continua forte. Depois de subir 8,2% na última semana, as quedas atuais fizeram os ganhos serem devolvidos. O vencimento setembro/22 encerrou com 5% (1.190 pontos) de queda nesta quinta-feira (18/08), em comparação com a cotação da última quinta-feira (11/08), fechando a 214,70 centavos de dólar por libra-peso. O café robusta na Bolsa de Londres (ICE Futures Europe) fechou a quinta-feira (18) com queda semanal de US$ 37,00 (1,64%) a US$ 2.215 por tonelada.


O dólar à vista fechou praticamente estável ante o real na quinta-feira, com ganho de 0,08%, para R$ 5,1720. Na semana, a moeda americana se valorizou em 1,93% com relação à brasileira.


O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) informou ao Conselho Nacional do Café (CNC) que as novas previsões meteorológicas indicam que a onda de frio que chega nesse final de semana, deve trazer alguns dias com baixas temperaturas nas regiões produtoras de café em Minas Gerais e no Espirito Santo. As temperaturas mais baixas devem ocorrer em São Lourenço/MG (3°), em Passa Quatro/MG (4°), e nas regiões de Patrocínio/MG e Passos/MG (5°), entre os dias 21 e 23. Nas outras regiões de café, a previsão é que as temperaturas fiquem entre 6° e 9°. Já no norte do Paraná o frio pode deixar os termômetros em 5°, por volto do dia 20. “Portanto, de maneira geral, o risco de geada é descartável, com exceção de São Lourenço e Passa Quatro, onde pode ocorrer alguma geada fraca”, informou o chefe do Centro de Análise e Previsão do Tempo do Inmet, Francisco de Assis Diniz.


No mercado físico, os pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) informaram que as cotações domésticas seguiram caminhos diferentes. O café arábica recuou ontem acompanhando a desvalorização no mercado externo. Já os cafés robusta subiram ontem (18), influenciados, principalmente, pela presença da indústria no mercado. Os indicadores calculados pela instituição para as variedades arábica e robusta se situaram em R$ 1.274,27 por saca e R$ 737,71 por saca, com variação semanal negativa de 2,04% e positiva de 0,87%, respectivamente.



bottom of page