Mercado deve se manter sustentado por ausência de vendas e posição do dólar

O mercado futuro de café arábica encerra a semana na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) em valorização. Após um salto de 12% nos cinco pregões anteriores (2.580 pontos), o vencimento julho/2022 fechou a quinta-feira (02/06), com queda de 0,50%, encerrando o dia a 238,25 centavos de dólar por libra-peso. Em função do feriado (Spring Bank Holiday) não houve expediente na ICE Europe nesta quinta-feira. O vencimento julho/22 do café arábica em Londres fechou a quarta-feira (01) a US$ 2.136,00 por tonelada, com uma alta de US$ 39,00 na semana. Clima, poucas vendas em função da entressafra e queda do dólar são as principais justificativas para altas, segundo corretores.

O dólar à vista apresentou queda ontem (02). A moeda fechou cotada a R$ 4,7885, em baixa de 0,32%. Entretanto, na semana, o dólar apresenta valorização de 1,06%. O câmbio acompanhou o enfraquecimento da moeda americana no exterior, apesar da valorização das commodities, de acordo com os especialistas.

O clima continua influenciando os preços. No webinar, desta quinta-feira, 2, promovido pelo Conselho Nacional do Café (CNC) em parceria com a Asbraer (Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural), o chefe do Serviço do Centro de Análise e Previsão do Tempo do INMET, Francisco de Assis Diniz, trouxe um panorama das condições climáticas atuais e as adversidades que podem ter reflexo na produção cafeeira. “Para os próximos dias, vem chuva e mais frio. Mas o frio que vai chegar, agora em meados de junho, não traz condição de geada. Já para julho, não está descartada a possibilidade de massa de ar mais frio chegar até a área do café”, pontuou.

No mercado físico, os pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) informaram que as cotações domésticas do café robusta estão em queda desde meados de abril. Segundo os pesquisadores, o arábica se valorizou puxado pelo aumento do dólar e retração dos vendedores. Os indicadores calculados pela instituição para as variedades arábica e robusta se situaram em R$ 1.328,52 por saca e R$ 695,76 por saca, com variação semanal positiva de 4,08% e negativa de 3,88%, respectivamente.