top of page

Conselho Nacional do Café marca presença na Feira do Cerrado promovida pela Cooxupé


A Feira do Cerrado, evento de negócios da cooperativa cafeeira Cooxupé, contou com cerca de 6 mil produtores de café de toda região do Cerrado de Minas Gerais nos dois dias de evento, quarta (15) e quinta-feira (16), e teve a presença do Conselho Nacional do Café (CNC), representado pelo presidente Silas Brasileiro.


O encontrou aconteceu em Monte Carmelo, com retorno presencial da edição, após dois anos de realização no ambiente virtual por conta da pandemia. A 8ª edição da Feira ofereceu produtos e serviços com condições especiais aos cooperados e produtores da região, para tornar mais sustentável o trabalho dos cafeicultores do Cerrado Mineiro. Para facilitar a experiência, foram mais de 70 estandes próprios e de parceiros da Cooxupé.


“Queremos auxiliar o produtor a produzir um café cada vez mais sustentável e de qualidade. E queremos, também, segurança para a tomada de decisões, seja na compra de um equipamento ou na avaliação do mercado”, destacou o superintendente de Desenvolvimento do Cooperado da cooperativa cafeeira, José Eduardo Santos Júnior, ao abrir evento.


O presidente do CNC, Silas Brasileiro, falou dos desafios políticos atuais reforçando a força do agro, especialmente a advinda dos pequenos produtores. “Nossa cafeicultura é social. Esse sim é o grande diferencial que desenvolvemos. No Brasil, estamos muito mais na frente em todos os quesitos, inclusive em renda próspera e em renda digna. Queremos um país cada vez melhor”, avaliou.


Em entrevista ao Notícias Agrícolas, Silas Brasileiro disse que apesar da demora em saber nomes do novo governo, o plano safra e o Funcafé não devem atrasar em 2023, e chegarão com valores suficientes para atender demanda.

Assista a entrevista concedida por Silas Brasileiro a Virgínia Alves do Notícias Agrícolas


A Feira do Cerrado esteve atenta, sobretudo, à sustentabilidade em todos os processos. E os implementos, maquinários e novidades apresentados no evento mostram, em síntese, um leque de possibilidades possíveis, com melhor aproveitamento de recursos e otimização do custo-benefício.Desse modo, o presidente da Cooxupé, Carlos Augusto Rodrigues de Melo, falou sobre os desafios enfrentados e comprometimento da cooperativa em busca das melhores soluções.


Foto: Peabirus


“Monte Carmelo foi o início de tudo. Hoje temos sete unidades de negócios no Cerrado Mineiro. Temos mais de 2.500 cooperados dentro do quadro total de 18 mil pessoas. Vocês representam de 20 a 25% do café originado na cooperativa. Expandindo, assim, de uma maneira rápida e produtiva. Eu estou convicto que a Cooxupé participou não só da expansão, mas da evolução de conhecimento e tecnificação de todos vocês, cooperados”, concluiu.

O presidente do CNC parabenizou a Cooxupé pela grandeza do evento. “Realmente a feira foi extraordinária. Parabenizamos o presidente Carlos Augusto Rodrigues de Melo, seu vice Osvaldo Bachião Filho, os demais diretores, e seu quadro de gestores e colaboradores. Eventos desse nível são fundamentais para darem ao produtor melhores condições de produção do café do cerrado”, finalizou.


Com informações da Ascom Cooxupé Mais informações para a imprensa Assessoria de Comunicação Alexandre Costa – ascomsilasbrasileiro@hotmail.com (61) 3226-2269

bottom of page