top of page

Programa Café Produtor de Água faz entrega dos prêmios por serviços ambientais a produtores de MG


O dia 31 de outubro de 2023 entrou para a história da cafeicultura. Em um evento concorrido realizado na Cooxupé, os parceiros do Programa Café Produtor de Água premiaram produtores da região de Alpinópolis por serviços ambientais prestados em suas propriedades.


Além do Conselho Nacional do Café (CNC) idealizador do projeto, são parceiros: o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), a Prefeitura de Alpinópolis/MG, a Cooperativa dos Cafeicultores de Guaxupé (Cooxupé), a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB – Sescoop), o Banco Sicoob, a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (EMATER-MG).


Estiveram presentes na solenidade várias autoridades como o presidente do Cooxupé, Carlos Augusto Rodrigues de Melo, o Diretor do Departamento de Comercialização do Ministério da Agricultura e Pecuária, Sílvio Farnese, acompanhado por Janaína Macedo, Coordenadora Geral do Café (Mapa), o presidente Otávio Maia e a equipe da Emater/MG, o superintendente do Instituto Sicoob para o Desenvolvimento Sustentável, Luiz Edson Feltrim e o superintendente comercial Luciano Ribeiro, o prefeito de Alpinópolis, Rafael Freire, além do presidente do Conselho Nacional do Café, Silas Brasileiro.


Pagamento por serviços ambientais


Parte da estratégia de implementação previa premiar os produtores rurais de café, por serviços ambientais prestados, que se comprometessem e executassem o conjunto de ações preconizadas pelo Programa, o que aconteceu nesta terça-feira. Os cafeicultores premiados se disseram muitos felizes não só por receberem uma premiação, mas por verem resultados reais nas suas propriedades.

De forma muito especial, a cerimônia de entrega dos PSA´s contou com a presença de Vanúsia Nogueira, diretora-executiva da Organização Internacional do Café (OIC), que trouxe um panorama sobre a cafeicultura mundial. Segundo ela, “tendências de sustentabilidade, funcionalidade e outras categorias de bebidas criarão novos usos e formas de café”, sugerindo que os produtores brasileiros se atentem a esse novo perfil de consumo.


Para o presidente da Cooxupé, Carlos Augusto Rodrigues de Melo, projetos como o Café Produtor de Água são pioneiros em atender a demanda do mercado mundial. “Parabenizamos os produtores que empunharam a bandeira da preservação. Estamos evidenciando ao mundo o que é produzir café sustentável”.

Rafael Freire, prefeito de Alpinópolis, abraçou o programa assim que recebeu a proposta de parceria. De acordo com o gestor, projetos assim são fundamentais para o desenvolvimento do município que é eminentemente agrícola. “Nossos representantes precisam ter a sensibilidade de que é importante falar sobre sustentabilidade, praticar isso e desenvolver projetos estruturantes como esse. Agradecemos todos os produtores que se envolveram, pois eles estão às margens do Ribeirão Conquista, que é o rio que abastece o município de Alpinópolis, ou seja, todos são beneficiados pelo programa, tanto na zona rural como na cidade.”, explicou.

Parceiro do programa, o Banco Sicoob foi o patrocinador oficial dos Prêmios por Serviços Ambientais pagos aos cafeicultores do programa. Luiz Edson Feltrim, superintendente do Instituto Sicoob para o Desenvolvimento Sustentável, disse que o Sicoob está comprometido com essa agenda da sustentabilidade. “Estamos mostrando o quanto, de fato, nós somos sustentáveis”, garantiu.


Um dos idealizadores do programa junto ao Conselho Nacional do Café é o Ministério da Agricultura e Pecuária. Sílvio Farnese representou a pasta e disse que o programa é o resultado do envolvimento de vários parceiros. “Certamente teremos ainda mais frutos colhidos nessa parceria. A participação do setor cooperativo é de extrema importância, haja visto o resultado que estamos obtendo com esse envolvimento da Cooxupé no projeto piloto, que será espelho para a expansão”, ressaltou o Diretor do Departamento de Comercialização do Mapa.

Outro parceiro fundamental do Café Produtor de Água é a Emater/MG. Desde o início dos trabalhos a entidade apoia e promove ações junto aos produtores. “Esse projeto vem ao encontro de tudo que a Emater prega e executa. No passado, a instituição aderiu ao Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU), por acreditar que a nossa agricultura é sustentável. A gente tem em Minas Gerais uma produção que se preocupa com a conservação e preservação do meio ambiente. Esse projeto completa um ciclo pagando pelos serviços ambientais que é uma pegada que precisamos ampliar”, sugeriu o presidente da Emater/MG, Otávio Maia.


Silas Brasileiro, presidente do CNC, ressaltou a concretização de um ciclo que só aconteceu em razão da dedicação de todos os parceiros. “Nada disso seria possível sem o comprometimento de todos os parceiros. Tivemos na Cooxupé, desde as primeiras reuniões, o apoio necessário do nosso abnegado presidente Carlos Augusto, junto com o Osvaldim (Osvaldo Bachião Filho – vice-presidente da Cooxupé), toda a diretoria e colaboradores, que não mediram esforços para proporcionar que toda a estrutura da cooperativa fosse colocada à disposição para a execução do programa. O prefeito Rafael Freire entendeu a abrangência do projeto e colocou a administração pública em ação. Os resultados são visíveis com a melhoria das estradas vicinais, recuperação de nascentes, preservação dos mananciais e das matas ciliares nas propriedades onde o Produtor de Água atua. O Mapa, o IICA e a ANA também não mediram esforços e junto com o financiamento do Sicoob estão transformando o programa em uma referência para a cafeicultura mundial”.


Sobre o programa


Os objetivos são bem claros: cuidar do meio ambiente com a preservação das matas ciliares, protegendo os mananciais, além de proporcionar a recuperação de estradas vicinais, fundamental para escoamento da produção e melhoria da qualidade de vida da população rural. Como consequência, evitará o assoreamento de rios e lagos, promoverá proteção de nascentes, oferecerá a construção de bacias de contenção, evitando assim, erosões.


“Como é uma parceria entre nossas cooperativas e as prefeituras municipais, visamos não só a preservação dos mananciais e das matas ciliares, mas a conservação das estradas para o escoamento da produção. Todos se envolvem, o município com as máquinas e equipamentos para dar uma condição de conforto para o produtor, e também evita os assoreamentos. Quanto ao mercado, o programa responde a maior preocupação do regulamento aprovado recentemente pela União Europeia que é a preservação dos mananciais, evitando falta de água nas localidades. Nós do café, com o programa, estamos avançando mostrando que temos capacidade para isso, saindo na frente, na vanguarda. É uma iniciativa que mostra para o mercado exterior que o Brasil, o maior produtor de café do mundo, se preocupa com nossos recursos hídricos. Esse projeto é extraordinário”, desta o presidente do CNC.


A equipe do CNC esteve representada pelos consultores Argileu Martins e Devanir Garcia, além da Secretária Executiva, Márcia Chiarello, e da assessora técnica, Natalia Carr.

Silas Brasileiro fez questão de exaltar o trabalho de toda a equipe do Conselho Nacional do Café, que trabalhou em consonância com o time da Cooxupé, liderado pelo superintendente Esg, Alexandre Monteiro, apoiado pelo técnico Mateus Severino. “Desde o início, quando o projeto foi sugerido pelo Dr. Argileu, e com a participação de todos, foi possível partir para outras parcerias que vieram contribuir conosco. Esse projeto só aconteceu por causa dessa dedicação de todos, além do apoio constante da imprensa”, finalizou.


Produtores de café da Cooxupé recebem prêmios por serviços ambientais prestados

Mais informações para a imprensa

Assessoria de Comunicação

Alexandre Costa – ascomsilasbrasileiro@hotmail.com

(61) 3226-2269

bottom of page