top of page

Semana deve se encerrar em baixa, mas dentro do intervalo

A segunda semana de março deve terminar marcada pela queda das cotações do café na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). Nesta quinta-feira (09), o vencimento maio/23, o mais líquido, caiu 1,30%, fechando a R$175,05 centavos de dólar por libra-peso – menor valor registrado em quarenta dias.


O arábica em Nova York fechou o ciclo semanal com uma baixa de 2% (280 pontos) em relação à semana anterior. Já as cotações do robusta em Londres (ICE Futures Europe) encerraram o intervalo com 0,28% de alta, o que representa 6% de aumento. Ontem, o primeiro vencimento, mai/23, subiu 0,42% (9 dólares), encerrando a 2.168/t.


No entanto, especialistas acreditam que o encerramento da segunda semana de março deve ficar dentro do intervalo. A expectativa agora está no impacto que pode causar a divulgação da queda brusca dos volumes de exportação do café brasileiro. Além disso, os fatores técnicos continuam se baseando na possibilidade de um baixo estoque de passagem e de volumes menores de produção no Brasil.


O dólar à vista teve mais uma semana com baixa oscilação e fechou em R$ 5,1410 o pregão desta quinta-feira. Na semana, a moeda americana se desvalorizou em 1,14% com relação à brasileira.


No mercado físico, os pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) informaram que as cotações do café arábica e robusta caíram ontem, em razão de uma posição cautelosa de compradores e vendedores. Os valores se situaram em R$ 1.089,79 por saca e R$ 658,49 por saca, com variação semanal negativa de 2,21% e de 4,76%, respectivamente.


Mais informações para a imprensa

Assessoria de Comunicação

Alexandre Costa – ascomsilasbrasileiro@hotmail.com

(61) 3226-2269

bottom of page